No rasto do pincel


FOTO: Carlos Fernandes

No rasto do pincel, tomam forma ruas serpenteantes, casas alinhadas, planícies verdejantes, prados floridos, montes nevados, falésias abruptas, ondas encrespadas e outros fragmentos pictóricos da realidade. Ora mais figurativos, ora mais abstractos, filtrados pela emoção do pintor, são os breves registos de um tempo que se não repete.
Rebrilhando ao sol da tarde, ficam então expostos ao olhar dos passantes, tentando despertar o interesse de um eventual comprador. E a troco de algumas notas, mais do que o seu labor, o artista cede um pouco das suas próprias memórias.
Manchas coloridas
Sob a poeira do tempo
– Memórias felizes.
Resplandece a luz do sol
Na tela do pensamento.

4 comentários a “No rasto do pincel

  1. G. HANOCH

    É… nossa mente e sua capacidade de colorir qualquer imagem sejam elas azuis como a felicidade ou 'cinza' como a realidade! Muito bom! Belo site! Mais um espaço para essa arte milenar e se fazer poesia! Quando quiser dê uma passadinha no meu também, ficaria muito honrado! Um abraço!

Os comentários estão fechados.